Falsas cidadanias para 600 brasileiros, 6 suspeitos e uma prisão em Anzio e Nettuno (Italia)

São seis pessoas envolvidas na investigação do Ministério Público de Velletri sobre a criação de documentos falsos de cidadania italiana concedidos a mais de 600 cidadãos brasileiros referentes aos Municípios de Anzio e Nettuno. Eles são um funcionário oficial do Gabinete do Estado Civil Anzio, um funcionário oficial do Gabinete do Estado Civil de Nettuno, um cidadão italiano empregado de um Café em Nettuno, dois mediadores culturais brasileiros e também um advogado de origem brasileira que supostamente cometeu os crimes controvertidos de 2017 a 2020. Segundo a denúncia, as pessoas envolvidas produziram fases de escritura de residência nos dois municípios, inclusive com aluguel de casa de família, procedimento necessário para a posterior concessão da cidadania italiana por referência a falsos e fantasmas ancestrais italianos, favorecendo efetivamente a imigração ilegal. Todas as pessoas envolvidas foram destinatárias de um aviso de garantia e de um pedido de busca e apreensão de documentos, efectuado hoje por funcionários da esquadra de Anzio e Nettuno . Procedeu-se a uma busca nas oficinas do estado civil de ambos os municípios, de onde foram retirados os computadores das duas autoridades envolvidas e toda a papelada relativa aos cidadãos brasileiros. Também foi ordenada a busca domiciliar das duas mulheres,