Prefeitura de Paris é multada por contratar muitas mulheres


Ministério da Função Pública da França alegou que a administração da capital infringiu as normas sobre paridade de gênero na dotação de pessoal de 2018. Anne Hildago classificou a penalidade como 'absurda'


A prefeita de Paris Anne Hidalgo: administraçã oda capital francesa foi multada por contratar muitas mulheres em cargos de direção

A prefeita de Paris Anne Hidalgo: administraçã oda capital francesa foi multada por contratar muitas mulheres em cargos de direção



PARIS. A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, classificou como "absurda" uma multa recebida pelas autoridades da capital francesa por empregar muitas mulheres em cargos de responsabilidade.


A multa de 90 mil euros foi imposta pelos Ministério da Função Pública da França, alegando que a prefeitura de Paris infringiu as normas sobre paridade de gênero na dotação de pessoal de 2018.







"Anuncio que fomos multados" por "termos nomeado mulheres demais em postos de direção", disse Hidalgo em uma reunião na prefeitura.


Para pensar: Como o feminismo deve tratar o abuso sexual? Uma batalha na França patriarcal


No total, em 2020, as mulheres ocuparam 69% dos cargos seniores da prefeitura, com 11 mulheres e cinco homens.


"A gestão da prefeitura se tornou, de repente, feminista demais", ironizou a prefeita do Partido Socialista, que foi reeleita para um novo mandato no ano passado.


"Esta multa é obviamente absurda, injusta, irresponsável e perigosa", disse Hidalgo. Ela completou dizendo que as mulheres devem ser promovidas "com vigor porque o atraso em todas as áreas da França ainda é muito grande".


Alice Guy Blaché:conheça a primeira mulher cineasta da história, que há mais de 100 anos já questionava o sexismo


"Sim, para termos paridade, devemos acelerar o ritmo e assegurarmos de que sejam nomeadas mais mulheres do que homens", afirmou.


Em um post no Twitter, a ministra da Função Pública da França, Amélie de Montchalin, reconheceu que havia imposto a multa, mas que a norma tinha sido anulada em 2019.


"Quero que a multa que Paris pagará por 2018 financie ações concretas para promover as mulheres no serviço público", disse a ministra, que convidou Hidalgo para ir ao ministério discutí-las.

12 visualizações0 comentário

©2021 Todo direitos reservados por Castellano TV